Subscribe to RSS Feed

terça-feira, 6 de março de 2012

Velhice

Tudo desmoronando. Quando você pensa que a coisa tá bem, você percebe que tem que começar do zero. Não tenho mais idade pra estas coisas. Para sentir frio na barriga, para brincar de músico, para brincar de militante. A vida deveria ser igual a de Benjamin Button, com todas as experiências marcadas no teu corpo, para que você carregasse todos os fardos no começo da vida e, depois, fosse se desapegando dos problemas. Aos poucos voltaríamos para um lugar confortável, e não o contrário. Que graça tem viver para tomar cicatrizes e ver que o futuro tende só a te presentear com problemas? Dai vem a idade, vem o dedo machucado que não te deixa tocar bateria direito, vem a falta de cabelo, vem a irritação da vida adulta, as contas para pagar, as contas que você não consegue pagar, as brigas com as pessoas que você gosta, as brigas com quem você também não gosta... Quando você vê, já tem filhos, netos, passando pela mesma coisa. Não vejo sentido nenhum nisso. Você procura por uma espécie de chave, seja em deus ou na ciência, no futebol ou na política, mas você nunca encontra. Porque se encontrasse, a vida não teria este gosto amargo. E se não fosse amargo, ou irritante, não seria vida e você não seria humano. Se for tudo muito fácil, ou você é ignorante, ou você é um deus. Já que não sou uma pessoa religiosa, gostaria apenas de ser um pouco mais ignorante.